Quais são as diferenças entre as consultorias de recrutamento e seleção?

Entenda os pontos positivos e negativos da consultoria especializada, marketplace, outsourcing e RPO

Lá no início dos anos 2000, o setor de Recursos Humanos foi impactado por uma novidade que revolucionou a forma como os processos de recrutamento e seleção eram feitos no Brasil: a chegada das consultorias especializadas. O sucesso foi tanto que, até os dias atuais, diversas organizações de grande presença e influência no mercado, como O Boticário, Santander e Keeggo, recorrem ao serviço em vez de contar exclusivamente com um time interno para atrair talentos.

Mas afinal, quando optar por uma consultoria especializada?

Calma, a gente te explica! Antes de tudo, é preciso entender que vários motivos ligados às necessidades das organizações na hora do processo seletivo contribuem para isso. Geralmente, a economia e a agilidade são dois fatores decisivos. Isso porque os benefícios proporcionados pela redução de custos e a velocidade de entrega fazem toda a diferença no fim do mês.

“Complexidade de posição, sazonalidade e desestruturação do RH também podem ser citados como facilitadores dessa preferência”, afirma Gustavo Arantes, co-founder da Hub42. Ele ainda comenta sobre um cliente com uma demanda alta de vagas de tecnologia, em torno de 100 mensais, que tinha um time interno de RH que não estava qualificado e dimensionado para atender um volume tão grande.

Segundo Gustavo, foi diante desse cenário que a organização decidiu terceirizar o processo de recrutamento e seleção. “Foram realizadas 105 contratações no primeiro mês após a implementação do nosso projeto, que engloba metodologias e análise de dados para que possamos agir estrategicamente”, complementa.

Falando em processo de R&S (recrutamento e seleção), é importante lembrar que ele é dividido em macroetapas e elas devem ser sempre mapeadas:

Alinhamento orientação sobre os pré-requisitos da vaga;
Divulgação – definição das melhores estratégias para atrair perfis aderentes com a vaga;
Hunting executado de 3 formas diferentes: ativo (o recrutador procura o candidato), passivo (o recrutador divulga a vaga e recebe currículos) e misto (o recrutador utiliza o hunting ativo e passivo ao mesmo tempo);
Seleção – fase onde entrevistas são feitas com a consultoria, com o RH e com o gestor para analisar se o candidato tem fit cultural com a empresa/vaga;
Contratação de modo geral é responsabilidade da empresa contratante.

Mais uma dúvida que é bastante comum quando o assunto é consultoria de recrutamento e seleção são os modelos disponíveis no mercado. Saber distingui-los é o primeiro passo para definir o tipo mais indicado para cada negócio. Pensando nisso, preparamos um conteúdo exclusivo para esclarecer como funcionam os 4 principais modelos de consultoria (consultoria especializada, marketplace, outsourcing e RPO) e as diferenças entre eles. 

Confira abaixo! 😉

1- Consultoria especializada

Vamos começar pelo modelo de atuação da Hub42? A consultoria especializada de recrutamento e seleção é ideal para vagas pontuais e confidenciais por apresentar um processo seletivo com volume e o primordial: velocidade de entrega. No nosso caso, por exemplo, somos uma consultoria especializada em atração tech.

Através da expertise e experiência dos nossos hubbers, fazemos o match de talentos com empresas para escrever o futuro de negócios inovadores. Queremos humanizar o contato com profissionais de tecnologia com o objetivo de entender as motivações e conhecimentos técnicos de cada talento, destacando a oportunidade que faz mais sentido naquele momento de carreira.

“A nossa consultoria especializada tem a garantia como principal ponto positivo. Se o candidato sair da empresa antes do tempo acordado, seja por vontade dele, ou da organização, refazemos a vaga sem custos adicionais”, explica Gustavo. Em contrapartida, a consultoria especializada pode ter dificuldade de escalonar o processo seletivo por questões de custo, já que o valor pago costuma ser por contratação.

2- Marketplace

O marketplace é uma plataforma que anuncia produtos e serviços para despertar o interesse de compra dos consumidores. É um modelo que funciona como um shopping center, com inúmeras vitrines à disposição, só que no ambiente virtual. Adaptando o conceito para o mundo de R&S, o marketplace nada mais é do que um recrutador digital, que conecta oportunidades de emprego (produtos e serviços) e talentos (consumidores).

As características mais marcantes do marketplace são: entregar processos seletivos com rapidez (é comum ver mais de um recrutador trabalhando por vaga), ser mais barato do que os outros modelos de consultoria e ter um ótimo alcance, visto que há recrutadores atuando no Brasil inteiro, o que diminui a complexidade de selecionar candidatos em determinados locais.

Abordando as desvantagens, destacamos a urgência em fechar as vagas tanto pela concorrência com outros recrutadores como pelo pagamento que só ocorre mediante ao fechamento da posição.

3- Outsourcing

Podemos descrever esse modelo como a famosa terceirização. É muito utilizado para solucionar necessidades específicas, como uma empresa que foi surpreendida por um projeto temporário e demanda da contratação imediata de desenvolvedores, sem que eles sejam incorporados à folha salarial. A solução? Uma consultoria de outsourcing.

O modelo permite a contratação dos profissionais desejados, alocando-os pelo período definido em contrato e encerrando o serviço na data prevista sem vínculo trabalhista direto com a empresa. Em comparação aos dois modelos anteriores, é o mais preciso em respeito à cultura organizacional, pois o profissional fica inserido no ambiente de trabalho da empresa como se fosse um funcionário.

Como ponto negativo, temos o fato da pessoa seguir as metodologias da empresa contratante. Dessa forma, o outsourcing acaba virando uma locação de mão de obra e a ideia de ser um serviço consultivo é deixada de lado.

4- RPO (Recruitment Process Outsourcing)

Assim como o modelo de outsourcing, o de RPO também aloca profissionais na empresa contratante, porém com um diferencial: eles se baseiam em uma metodologia ágil e em dados para controlar a performance do projeto. É um tipo de consultoria que segue o processo end-to-end (podendo até elaborar a carta proposta dos candidatos se for solicitado) e vivencia por completo a cultura organizacional da empresa.

No entanto, é fundamental saber as desvantagens oferecidas pelo modelo de RPO, como a recorrência de vagas ou um volume pré-determinado, uma vez que os projetos costumam ter duração mínima de 6 meses, e o período de implementação de aproximadamente 1 mês para começar a fechar o volume de vagas combinado.

E aí?

Agora, queremos saber: o texto conseguiu mostrar os detalhes que fazem com que as consultorias sejam únicas e recomendadas para situações distintas? Mesmo com o propósito de realizar um processo de recrutamento e seleção eficiente, elas se diferenciam nos recursos utilizados para alcançar esse resultado. Por isso, é indispensável compreendê-las 100%.

A consultoria especializada em atração tech, que entrega volume e velocidade no processo seletivo, é o que você precisa neste momento? Então, clique aqui para entrar em contato com nosso time e agendar um bate-papo. Estamos à disposição para elevar o nível de inovação do seu negócio. 🚀

Vamos juntos e até o próximo artigo! 💚

<empresas/>

Quer contratar um talento que é a cara da sua empresa?

<candidatos/>

Quer ser contratado por uma empresa que é a sua cara?

HUB42 TECH RECRUITMENT LTDA   CNPJ: 42.156.464/0001-31 Alameda Mamoré, 687 Conjunto 401 4º andar, Alphaville Centro Industrial e Empresarial Alphaville Barueri SP CEP: 06454-040